O que são (e o que não são) perturbações do neurodesenvolvimento: breve reflexão

Diversos autores por esse mundo fora, sem poupar os de nacionalidade portuguesa, quando da apresentação ou publicação de estudos científicos, interpõem livremente, nas casuísticas relativas às Perturbações do Neurodesenvolvimento, síndromes ou doenças orgânicos que não fazem parte do corpus nosologicus do Neurodesenvolvimento, o que constitui um inequívoco e gritante erro epistemológico. Outras vezes, sem quaisquer critérios plausíveis, são utilizadas terminologias caídas em desuso, a par das actualmente utilizadas.

Expliquemo-nos melhor. Determinado autor, ao estudar a casuística da sua consulta, refere em artigo científico os seguintes dados estatísticos:

Patologia Número de casos
Perturbação do Desenvolvimento Intelectual
Trissomia 21
Atraso global do desenvolvimento
Síndrome do X frágil
Paralisia Cerebral
Síndrome de Turner
Deficiência Mental
Retardo Mental
Alterações comportamentais
Perturbação da linguagem
Afasia
Epilepsia
PHDA

Como é óbvio, as doenças genéticas Trissomia 21, síndrome do X frágil e síndrome de Turner (estas duas últimas inapropriadamente denominadas síndromes), ou uma situação verdadeiramente sindromática, como é o caso da Paralisia Cerebral (síndrome é um conjunto de sintomas e sinais de diferentes etiologias), não correspondem a diagnósticos neurodesenvolvimentais, mas antes a diagnósticos orgânicos, suportados e fundamentados com o recurso a exames auxiliares de diagnóstico. Por exemplo, determinado sujeito com a síndrome de Turner poderá não exibir uma qualquer Perturbação do Neurodesenvolvimento ou apresentar uma ou várias patologias deste foro, como a Perturbação do Desenvolvimento Intelectual, ou a Discalculia, ou o Défice de Atenção. Num outro exemplo, um sujeito com Trissomia 21 poderá apresentar uma Perturbação do Desenvolvimento Intelectual, uma Perturbação de Hiperactividade com Défice de Atenção e uma Perturbação de Tiques. Também, como referido, muitos autores, no mesmo texto, utilizam terminologias actualizadas a par de outras caídas em desuso. Por exemplo, numa mesma casuística, usam indistintamente o termo Perturbação do Desenvolvimento Intelectual e Deficiência Mental, umas vezes para designar perturbações diferentes e outras vezes para se referirem à mesma patologia.

Oxalá os revisores das revistas científicas assumam, para eliminar a confusão nesta matéria, um espírito mais crítico e inflexível quando da revisão dos artigos submetidos para publicação.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: